29 de abril de 2010

Signo de Peixes

Muito interessante o blog Panorama Astrológico. Postagem Os Doze Trabalhos, de onde tirei a publicação abaixo:






25 de abril de 2010

Sobre a Maturidade

                                                                                      make it grow...

Na semana que passou duas amigas, durante nossas conversas, me falaram que eu sou uma mulher madura. Será? Fico imaginando o porquê dessa opinião sobre mim. E isso me faz refletir sobre várias coisas da minha vida, vida essa nem sempre fácil. E chego a conclusão de que a evolução e entendimento do mundo me faz crescer.

Nem sempre foi assim, claro. Principalmente porque eu deixava sempre para os outros o ônus do que estava errado em minha vida. Ledo engano...E a vida me mostrou e mostra que somente eu posso responder por minhas alegria e infelicidades. Eu é que tenho que pegar a minha vida nas mãos e dar rumo à ela. De preferência, um bom rumo...

Não sei se o fato de eu estudar a Doutrina Espírita está me fazendo melhor. Sim, porque muito mais que estudar eu preciso colocar em prática tudo o que aprendo. Fácil? Às vezes sim, outras nem tanto mas nunca desistindo. Ou talvez seja por conta da idade e o amadurecimento natural que deve ocorrer. Ou ainda por conta da terapia que me faz respeitar a mim mesma. Na verdade, não importa. O que importa é que eu me sinto diferente de tempos atrás. E isso tem me feito muito bem.

Alguns exercícios super importantes já estão em prática, como já postado aqui: Amor e Perdão. Outros ainda estão sendo trabalhados como a falta de fé em algumas situações ou um querer imediatista de que as coisas se resolvam naquela hora. Aí me lembro que as coisas acontecem na hora certa, no lugar certo, com as pessoas certas, portanto não adianta sofrer por antecipação. E a calma e o respeito pelo ciclo natural da vida me trazem alívio e Paz.

O fato de eu estar dando o melhor de mim em toda e qualquer situação: no meu estudo, no meu trabalho, na minha família, no meu relacionamento com as pessoas; a aceitação dos fatos e das pessoas serem como são, cada um vivendo e agindo dentro de seu conhecimento, tem me feito crescer.

Na real a matemática é simples: plantação + tempo de maturação = colheita. Eu recebo o que dou, tenho de volta o que ofereço. Pode não ser imediato mas a vida se encaminha de devolver o que por mim foi plantado em algum momento. E quanto mais coisas boas eu plantar mais coisas boas eu vou colher e viver.

E, por acreditar e praticar tudo o que está escrito acima, eu consigo ser mais serena, ter uma vida mais calma, sem rancor, raiva, inveja e insegurança. É só eu respirar um pouco e a tranquilidade vem.

Será tudo isso a tal maturidade?

Sermão da Montanha - Versão Moderna

Bem-aventurados os pobres de ambições escuras:
De sonhos vãos, de projetos vazios e de ilusões desvairadas, que vivem construindo o bem com o pouco que possuem, ajudando em silêncio, sem a mania de glorificação pessoal, atentos à vontade do Senhor e distraídos das exigências da personalidade, porque viverão sem novos débitos, no rumo do céu que lhes abrirá as portas de ouro, segundo os ditames sublimes da evolução. 

Bem-aventurados os que sabem esperar e chorar:
Sem reclamação e sem gritaria, suportando a maledicência e o sarcasmo, sem ódio, compreendendo nos adversários e nas circunstâncias que os ferem, abençoados aguilhões do socorro divino, a impeli-los para diante, na jornada redentora, porque realmente serão consolados.

Bem-aventurados os mansos, os delicados e os gentis:
Que sabem viver sem provocar antipatias e descontentamentos, mantendo os pontos de vista que lhes são peculiares, conferindo, ao próximo, o mesmo direito de pensar, opinar e experimentar de que se sentem detentores, porque, respeitando cada pessoa e cada coisa em seu lugar, tempo e condição, equilibram o corpo e a alma, no seio da harmonia, herdando longa permanência e valiosas lições na Terra.

Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça:
Aguardando o pronunciamento do Senhor através dos acontecimentos inelutáveis da vida, sem querelas nos tribunais e sem papelórios perturbadores que somente aprofundam as chagas da aflição e aniquilam o tempo, trabalhando e aprendendo sempre com os ensinamentos vivos do mundo, porque, efetivamente, um dia serão fartos.

Bem-aventurados os misericordiosos:
Que se compadecem dos justos e dos injustos, dos ricos e dos pobres, dos bons e dos maus, entendendo que não existem criaturas sem problemas, sempre dispostos à obra de auxílio fraterno a todos, porque, no dia da visitação da luta e da dificuldade, receberão o apoio e a colaboração de que necessitem.

Bem-aventurados os limpos de coração:
Que projetam a claridade de seus intentos puros, sobre todas as situações e sobre todas as coisas, porque encontrarão a "parte melhor" da vida, em todos os lugares, conseguindo penetrar a grandeza dos propósitos divinos.

Bem-aventurados os pacificadores:
Que toleram sem mágoa os pequenos sacrifícios de cada dia, em favor da felicidade de todos, e que nunca atiçam o incêndio das discórdias com a lenha da injúria ou da rebelião, porque serão considerados filhos obedientes de Deus.

Bem-aventurados os que sofrem a perseguição ou incompreensão:
Por amor à solidariedade, à ordem, ao progresso e à paz, reconhecendo acima da epiderme sensível, os sagrados interesses da Humanidade, servindo sem cessar ao engrandecimento do espírito comum, porque assim se habituam à transferência justa para as atividades do Plano Superior.

Bem-aventurados todos os que forem dilacerados e contundidos pela mentira e pela calúnia:
Por amor ao ministério santificante do Cristo, fustigados diariamente pela reação das trevas, mas agindo valorosos, com paciência, firmeza e bondade pela vitória do Senhor, porque se candidatam, desse modo, à coroa triunfante dos profetas celestiais e do próprio Mestre que não encontrou, entre os homens, senão a cruz pesada, antes da gloriosa ressurreição.

Rejubilem-se, cada vez mais, quantos estiverem nessas condições, porque, hoje e amanhã, são bem-aventurados na Terra e nos Céus.

Humberto de Campos
(tirado do Fórum Espírita)

23 de abril de 2010

Salve São Jorge!

  Byzantine style fresco (1537), Humor Monastery Church (Bucovina, Romania)


Jorge sentou praça na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia
Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés, não me alcancem
Para que meus inimigos tenham mãos, não me peguem, não me toquem
Para que meus inimigos tenham olhos, e não me vejam
E nem mesmo um pensamento eles possam ter para me fazerem mal

Armas de fogo, meu corpo não alcançará
Facas, lanças se quebrem, sem o meu corpo tocar
Cordas, correntes se arrebentem, sem o meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge

Jorge é da Capadocia, viva Jorge

Jorge é da Capadocia, salve Jorge

Perseverança, ganhou do sórdido fingimento

E disso tudo nasceu o amor

Ogam toca pra Ogum
Ogam, Ogam toca pra Ogum

Jorge é da Capadocia
 
(Jorge da Capadócia - Jorge Ben Jor)

20 de abril de 2010

Doce Lar

Novo blog no ar:


Consulte e contrate nossos serviços!