3 de fevereiro de 2010

Chuvas de verão

Acordei hoje cedinho com essa música na cabeça. Nem preciso escrever que cantei-a até agora...

Podemos ser amigos simplesmente
Coisas do amor nunca mais
Amores do passado, do presente
Repetem velhos temas tão banais
Ressentimentos passam como o vento
São coisas de momento
São chuvas de verão
Trazer uma aflição dentro do peito.
É dar vida a um defeito
Que se extingue com a razão
Estranha no meu peito
Estranha na minha alma
Agora eu tenho calma
Não te desejo mais
Podemos ser amigos simplesmente
Amigos, simplesmente, nada mais

(letra de Fernando Lobo)

Nenhum comentário: