19 de agosto de 2009

Alguma coisa acontece no meu coração...

Olha só...depois de um longo e necessário tempo de "incubação" eis que ressurjo tal como a Fênix das cinzas. Ou como a lagarta que vira borboleta. Passei um tempo lá, quietinha, chatinha, escondidinha no meu casulo quentinho.

De repente a Vida me convida a Viver (aliás, ela faz isso todos os dias eu é que recuso em alguns momentos mais tensos!) e eu resolvo aceitar.

Que TUDO!!!!

9 de agosto de 2009

Apenas uma vez

Assisti o filme ontem e adorei! A história é linda e as músicas também, sendo uma delas ganhadora do Oscar de Melhor Canção em 2008. A música abaixo não é a ganhadora mas é que eu mais gostei.

8 de agosto de 2009

Novela das oito

Gentem,
Eu acompanho a novela das 8 pelo menos 2x por semana. E, como toda novela, não é preciso mais que isso para saber o que está rolando.

Mas ontem, assim que cheguei em casa, corri e liguei a TV porque não perderia por nada nessa vida a surra que a Ivone levou de Melissa Cadore. Não, não sou a favor de violência em nenhuma circunstância nessa vida. Mas que a Ivone sonsa estava merecendo, ahh...isso estava.

Minha mãe sempre fala: "tenho medo de gente sonsa. Essas são as piores." E a novela deixa isso muito claro. Afinal, somos seres humanos. Então sentimos raiva, ciúmes, desprezo, inveja e em algum momento esses sentimentos devem aparecer naturalmente, em sua dose certa. Agora, um ser que sempre se faz de vítima, de amiga, de sonsa, chora, é sempre solícita, por favor! pedantismo demais para o meu gosto e é para desconfiar.

Tudo bem, é só novela mesmo mas o que não falta nesse mundo são pessoas dissimuladas como a Ivone e como o babaca do Ramiro que, vamos combinar, é um legítimo homem que não vale nada, mesmo com todo o dinheiro que tem. Merece muito a mulher alienada e histérica que tem.
E se, todas as mulheres agissem como Melissa talvez, as piriguetes de plantão e os homens frouxos, ficariam espertos.

Leiam uma história real: 3xtrinta.blogspot.com

Fica, para reflexão, uma frase que eu gosto muito, de Artur da Távola: "Acreditar não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente."