27 de abril de 2009

A Maturidade


Sempre tive a mania de, ao ler, fazer anotações. Assim, fixo melhor a ideia proposta, como se estivesse estudando para uma prova.

E eu me lembrei que, em algum lugar, estavam guardadas as minhas anotações que trouxe a pouco tempo da casa da minha mãe. Acordei hoje com trechos de um texto na minha cabeça e que faz todo o sentido para o momento.

O texto foi publicado na revista Cláudia em Junho de 1992 mas não anotei quem escreveu. E é atual mesmo depois de quase 17 anos.

A Maturidade

...Ela mostra sem pudor a irreversibilidade do que construímos juntos.

- A primeira transa, a chegada do primeiro filho, a casa nova, o almoço preparado a quatro mãos...EUFORIA!
- A rotina diária, o cansaço depois do expediente, as doenças das crianças, o dinheiro curto...TRISTEZA!
- O ciúme, a discussão, o sexo negado, as palavras não ditas, as que nunca deveriam ter sido pronunciadas...ANGÚSTIA!
- A cumplicidade, o diálogo só feito de olhares, o braço que nos rodeia na hora do desabafo, o reencontro depois da ausência, o grande pequeno sonho compartilhado...SEGURANÇA!

A tela de nossa maturidade nos mostra quais os sentimentos que mais pesaram na balança. E se o prato se inclinar a nosso favor, se no jogo de luzes e sombras a solidariedade ofuscar as mágoas, finalmente compreenderemos o verdadeiro alcance das juras de amor, ingenuamente repetidas no momento da paixão. Então, ficará um único desejo, digno de ser expressado: "Já que só aos eleitos é dado o privilégio de morrer num mesmíssimo instante, pelo menos seja você, sejam tuas mãos a fechar meus olhos".

Nenhum comentário: