28 de fevereiro de 2009

Embalos de sábado à noite


Então, hoje é sábado! Dia de balada certo? Hummm...mas a minha balada é diferente. Estou só! Eu comigo mesma como a algum tempo não acontecia.

De manhã fui com minha filha mais velha para iniciar os trabalhos no Centro com as crianças. Delicioso, gratificante, apaixonante como sempre.

Depois fomos ao cinema assistir "Sim Senhor" com Jim Carrey, típico filme de sábado à tarde, sem compromisso. Batemos uma perninha pelo shopping e retornamos para casa.

Bom...Amor está no RJ, caçula com o pai e a mais velha foi para a balada com os amigos para sua última despedida pois está de mudança de cidade para estudar. Portanto...estou só!

Estava eu aqui passeando por alguns blogs queridos quando me bateu uma fominha e uma vontade louca de comer brigadeiro. Fucei geladeira, despensa e nada me apeteceu. Pego meu carro e vou até ao supermercado comprar leite condensado para o brigadeiro e compro também uma lasanha de brócolis e cogumelos com semente de girassol. Como não como carne tenho que descobrir essas maravilhas!

Voltei, fiz o brigadeiro, coloquei a lasanha para assar, tomei um banho frio pois o calor está insuportável e agora descrevo tudo o que acontece.

Para minha surpresa não estou triste, chateada, angustiada ou tenho qualquer sentimento ruim pelo fato de estar só. Muito pelo contrário, até gosto e preciso me policiar pois num estalar de dedos me acostumo com a solidão. Claro que eu queria estar com todos da minha família mas às vezes simplesmente não dá, não é possível.

O que fazer então? Aproveitar... Já fiz tanto isso em outras épocas da minha vida. AMO ficar comigo mesma!!!

Daqui a pouco a lasanha estará pronta e em seguida vou me chafurdar no prato de brigadeiro na frente da TV. Ligo a TV no GNT pois vou encontrar mais tarde as minhas amigas do Saia Justa. Depois pretendo ler antes de dormir pois quero terminar o meu livro.

Amanhã é domingo, dia de caminhar na Lagoa, início de mês e de ano (será que agora vai?), planejamento para a semana.

E como no filme que assisti hoje vou dizendo SIM para todas as minhas possibilidades...

27 de fevereiro de 2009

Deficiências


Recebi um e-mail no ano passado com um texto sobre deficiências. Texto super legal e que seria da autoria de Mário Quintana.
Como eu sou super curiosa, pesquisadora (inclusive de coisa inúteis!!) vasculhei a internet e descobri que na verdade o texto não é do Mário Quintana mas sim de uma professora, assim como vários textos circulam com autores, na maioria, duvidosos.

Aí vai:

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome,
de miséria. E só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um
amigo, ou o apelo de um irmão.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

"Miserável, é quem que não conseguem falar com Deus.

(Prof.Renata Villela)

26 de fevereiro de 2009

Lá vem ela de novo!

Estou lendo Comer, Rezar, Amar, Elizabeth Gilbert, e vou tecer meus comentários sobre o livro assim que terminar de ler. Mas hoje me lembrei de uma passagem que preciso citar:

"Depois de cerca de dez dias na Itália, a Depressão e a Solidão acabam me encontrando...
Aproximam-se de mim, silenciosasa e ameaçadoras como detetives particulares, e me cercam - a Depressão pela esquerda, a Solidão pela direita. Sequer precisam me mostrar seus distintivos. Eu as conheço muito bem. Há anos que temos brincado de gato e rato... Elas não combinam com esse lugar."

E hoje eu estou sentindo exatamente isso. Mas no meu caso não é nem a Depressão nem a Solidão que vem me visitar mas a minha tão conhecida Angústia. Já estava incomodada desde ontem à noite, demorei para dormir. Acordei com aquela sensação de que era melhor não ter acordado. Mas quando uma amiga me ligou, no meio da tarde, perguntando se eu estava bem pois ela percebeu que não ri das piadas dela pelo MSN, aí eu tive certeza: lá vem ela de novo! Que saco!!!

Sei lá se é:
- porque vou passar o final de semana sozinha e já me desacostumei com isso;
- ou porque volto de viagem depois de 5 dias fora da realidade e voltar para a realidade sempre me é um problema desde a infância;
- ou são as preocupações com o trabalho, dinheiro, família, existência;
- ou porque é assim mesmo e paciência, fazer o quê? Espera um pouco que passa!

Vou para baixo com a mesma velocidade que o chumbo cai. E não existe nada que mude o cenário. Tento arrancar forças sabe-se lá de onde para continuar com a rotina ou pelo menos com que eu já combinei de fazer. Não existe reza, remédio, choro, pai de santo que dê (esse de é com acento ou sem acento #%@# ??) jeito.

Horrível, simplesmente horrível. E lamentável!

O assunto é entre eu e Deus


Muitas vezes as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas.
Perdoe-as assim mesmo.

Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de egoísta, interesseiro.

Seja gentil, assim mesmo.


Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.

Vença assim mesmo.


Se você é honesto e franco as pessoas podem enganá-lo.

Seja honesto assim mesmo.


O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa assim mesmo.

Se você tem Paz, é feliz, as pessoas podem sentir inveja.
Seja feliz assim mesmo.


Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante.

Dê o melhor de você assim mesmo.

Veja você que no final das contas, é entre você e Deus.
Nunca foi entre você e as outras pessoas.
(Madre Tereza de Calcutá)

Esse texto foi distribuído no hospital onde meu sogro está internado. Já conhecia-o de longa data e, na minha opinião, deve estar presente em nossa vida todos os dias e em todas as ações.
Afinal, é isso mesmo: sigo o que diz seu coração e minha crença pois o assunto é entre eu com Deus não com as outras pessoas.

25 de fevereiro de 2009

E por falar em Carnaval...

Estávamos viajando para o interior do RJ quando ouvi uma música do Toquinho e Vinícius de Moares que fazia tempo que não ouvia. E fiquei com o refrão na cabeça durante o carnaval:

Se o amor é fantasia
Eu me encontro ultimamente
Em pleno carnaval




Tudo a ver com o momento...

20 de fevereiro de 2009

É hoje


Dia de aniversário para mim é como outro dia qualquer: acordo, tomo banho, trabalho, cuido da casa e dos filhos, dirijo e blás...

Não tenho muitas mordomias além do fato de estar viva e atuando. Ah...o Amor preparou o café da manhã hoje. E me presenteou com um livro que vou devorar no Carnaval ou pelo menos tentar ler durante a viagem. Ok, duas super mordomias!

Não me preocupo em ficar mais velha, em criar rugas, ficar com os cabelos brancos e a musculatura flácida. Não sou relaxada e nem sou neurótica com o visual. Alguns dizem que é porque eu sou magra, alta, loira (quimicamente) e linda!, por isso não me preocupo. Hahaha...mas isso não tem nada a ver.

Não faria uma cirurgia plástica estética por nada nesse mundo, não gosto de academia, a natação estraga o meu cabelo por causa do cloro. Acho as academias específicas para mulheres com exercícios mais leves um tédio só. Comprei um par de patins ano passado mas desisti no primeiro tombo. Faço algumas caminhadas de vez em quando e dou uma maneirada na alimentação. Sei que preciso intensificar isso para ter uma velhice saudável. Mas ainda preciso me disciplinar melhor.

Vou dar um outro tipo de presente para mim hoje: participar de um processo seletivo para fazer parte do Griots. Vou fazer algo por quem está precisando de atenção, carinho e amor. Isso me faz bem e feliz demais.

Parabéns...

19 de fevereiro de 2009

Estou assim


Tranqüila
Levo a vida tranqüila
Não tenho medo da morte
Não vou me preocupar

Que passe por mim a doença
Que passe por mim a pobreza
Que passe por mim a maldade, a mentira e a falta de crença
Que passe por mim olho grande
Que passe por mim a má sorte
Que passe por mim a inveja, a discórdia e a ignorância

Tranqüila
Levo a vida tranqüila

Que me passe
A doença que me passe
A pobreza que me passe
A maldade que me passe
Que me passe
Olho grande que me passe
A má sorte que me passe
A inveja que me passe
A tristeza da guerra

Tranqüila
Levo a vida tão tranqüila
Não tenho medo da morte
Não vou me preocupar

(Bebel Gilberto)

Nostalgia


Hoje presenciei uma cena que me fez nostálgica.

Na hora do almoço entrei na borracharia para consertar uma pequena avaria num dos pneus do meu carro e percebemos, eu e o borracheiro, uma leve discussão de um casal adolescente do outro lado da rua. Comentamos: "a briga tá feia!!!" Bom... a "briga" não durou mais que 10 minutinhos e logo os dois estavam aos beijos, abraços e carinhos. Se despediram e cada qual foi para um lado da rua.

Me lembrei da minha adolescência quando esperava acabar a aula para encontrar o namoradinho, dar um oizinho rápido e cada qual voltar para sua casa. E passar o resto do dia sonhando com o reencontro. Não existia o celular nem internet nessa época (sim, nasci no século passado) e a tarifa telefônica era caríssima. Portanto, o negócio era esperar o dia seguinte mesmo. E sonhar, sonhar...
Tudo escondido, claro! Imagina se minha mãe soubesse que cheguei atrasada para o almoço não porque o ônibus mudou o horário (essa era a história que eu contava!) mas porque eu havia perdido mesmo por conta do namorico.

Coisa mais gostosa de recordar...

13 de fevereiro de 2009

As coisas são como são. Ponto.

Tenho pensado muito nisso ultimamente: as coisas são como elas são, as pessoas são como elas são, a vida é como ela é. Ponto.

Muitas coisas podem ser mudadas. E eu acredito mesmo nisso senão não poderia aceitar a evolução do mundo e da espécie. Até por isso faço análise, estudo e pratico a doutrina espírita. Mas muitas coisas a gente não consegue mudar, muitas pessoas não conseguimos mudar. Ponto.

Nem por isso o mundo, o trabalho e principalmente as pessoas são menos desejáveis ou amáveis. Eu sinto que estou aqui, nesse planeta, nessa vida, exatamente para isso: para aprender, aceitar, respeitar e principlamente amar. Amar a mim mesma, meus filhos, meu namorado, minha família, meus afetos e desafetos. Independentemente de como eu e essas pessoas sejam. Ponto.

Perdoar e pedir perdão sempre. Ponto.

Fácil? Não, claro que não. Quem disse que seria?

Acho que aí está a resposta para o post anterior. Acordar angustiada sem nenhum motivo aparente. Como diz minha terapeuta: rebote de sentimentos guardados e mal resolvidos.

Perdoar. Amar. Aceitar.

Ser leve. Ser feliz. Ser livre.

Ponto.

11 de fevereiro de 2009

an.gús.tia


1 Ansiedade ou aflição intensa. 2 Carência, falta. 3 Ânsia, agonia. 4 Sofrimento.

Hoje acordei assim e a sensação durou o dia inteiro. Até minha dentista comentou que eu estava "apagada". Tive duas horas de descanso durante o ensaio do coral com um pouco de exaltação por conta da agenda de apresentações previstas para o ano de 2009. Mas nem bem voltei para casa e a sensação retornou.

Não gosto de ficar assim e não consigo descobrir o que fazer para acabar com esse sentimento. Quando se instala, me derruba

Dormir? Chorar talvez? Vontade de comer doce incontrolável.

Será uma pequena depressão? Ou essa sensação de culpa horrível que me acompanha?

Tem alguém que possa me explicar?

5 de fevereiro de 2009

Iupiiiiii...consegui!

Agora posso comemorar oficialmente: consegui a vaga no Co.Ca. como soprano!!!! Estou muito feliz com essa conquista e com as coisas tomando forma na minha vida! Semana que vem inicio as aulas para fortalecer minhas cordas vocais. Sim, eu sou chique!!!
Me aguentem (tão esquisito escrever sem trema!).

Sem pretensão alguma de me tornar, tipo assim, uma Zizi Possi. Longe disso...
É apenas uma das maneiras que encontrei de extravasar o meu lado artístico. Daqui a pouco eu arrumo um horário para voltar a dançar, e depois aperto a agenda e, quem sabe, volto a pintar. Ah..tem o piano também que eu quero voltar a tocar. Mas quantas horas tem o dia mesmo? Só 24 horas? Poxa, que pena!!! Mas cada coisa no seu tempo, e uma coisa de cada vez para não atropelar e acabar por fazer nada! Por ora, poder soltar a minha voz está de bom tamanho.

Quando eu soltar a minha voz
Por favor entenda
É apenas o meu jeito de viver
O que é amar
(Gonzaguinha)

Com carinho e alegria...

4 de fevereiro de 2009

Han, han...dá licença que eu sou chique!

Acabo de fazer o teste para fazer parte do Co.Ca, Coral de Campinas. E eu sou soprano!!!
Bom...vamos aguardar ser chamada (ou não!) para saber se eu realmente sou chique. Depois eu conto e comemoro oficialmente. Por enquanto, só testes e as mãos suando de nervoso diante de um teclado e um regente. Ai!...

E a noite foi proveitosa: encontrei minha amiga Aline pois, através dela soube do teste e já havíamos vocalizado juntas num coral de mantras indianos algum tempo atrás. Colocamos o papo em dia. Saindo de lá encontrei outra amiga, Andréa, que não encontrava a algum tempo, só por telefone. Outro papo colocado em dia na porta do supermercado. E as promessas de não perder o contato nunca, jamais, em qualquer tempo.

Pois é...

Exatamente no post abaixo eu comunicava uma pequena pausa pois minha cabeça estava (e ainda está, talvez, não sei!) em curto. E as idéias eram tantas que nem escrever eu estava conseguindo, tamanha confusão: muitas idéias do que fazer, como fazer, conflitos pessoais, interpessoais, mundiais, planetários. Era só ctrl-c, ctrl-v. Apenas alguns desabafos que conseguiam me tirar um pouco o peso.

E de repente, usando algumas dicas do Amor e de outro post mais antigo, eis que resolvo mudar de ATITUDE!!! E as coisas começam a ter outra forma e mais leveza.

E aí, vamos sair da vontade, idéias, livros e blás e partir para a AÇÃO? Já deu para perceber que funciona.

Com carinho e uma pontinha de felicidade surgindo...

Pensamentos


Peraí, um minutinho, já volto...

...Brainstorm

2 de fevereiro de 2009

Para pensar - 5

"A maior descoberta de minha geração é que qualquer ser humano pode mudar de vida, mudando de atitude."

(William James)