7 de agosto de 2011

A Poliana morreu. Ou está de férias...

 

A Poliana que existe dentro de mim sabe-se lá por onde anda. Desejo realmente que não tenha morrido definitivamente e esteja apenas dando um tempo. Por que eu vou te contar: eu estou muito insuportável!!!

- sem paciência com nada e com ninguém;
- tolerância zero;
- achando tudo e todos sem graça alguma;
- rezando para dormir e rezando para não acordar (meus sonhos sempre são muito mais legais e emocionantes que a vida real...);
- tentando conter a língua ferina que tem vontade de falar escancaradamente a verdade, doa aquem doer;
- enfim, com uma vontade enorme de explodir. E sinto realmente que isso vai acontecer a qualquer momento...

Eu gostaria muito de poder saber em que momento eu me perdi. Por que estava tudo muito bom e de repente...sei lá, penso que achar tudo ótimo e lindo não é normal também.

As pessoas me irritam, o mundo me irrita, eu me irrito. E como não posso me dar ao luxo (nem tempo tenho mais) de ter minha psicóloga semanal, o jeito é usar o blog para expor o que penso e tentar amenizar o péssimo momento.

Sorry...

23 de abril de 2011

Nada que te diz respeito

A letra da música não tem a ver com o meu momento mas é ÓTIMA. O ritmo e as vozes então....AMO!


Leva eu, leva eu, leva...
Leva eu, leva eu, leva...

Nada que te diz respeito eu consigo jogar fora
E o tempo que era pra levar traz existir
Carrego vivas na lembrança marcas de um passado
Que não vão embora
Nada que te diz respeito eu consigo jogar fora

O que é que eu vou fazer
Pra acabar com esse tormento
O que é que eu vou fazer
Pra por um fim nesse lamento
O que é que eu vou fazer
Pra te ver fora do meu mundo
O que é que eu vou fazer

Eu vou riscar seu nome do caderno
E vou rezar aos santos e orixás
Pra ver se um novo amor me acontece
E o seu que vá morar em outro lugar

O que é que eu vou fazer
Das as coisas que você deixou
O que é que eu vou fazer
Das as outras que você levou
O que é que eu vou fazer
Pra te ver fora desse mundo
O que é que eu vou fazer

Leva eu, leva eu, leva...
Leva eu, leva eu, leva...

Roupa de cama, taça de vinho
Descanso de prato e a TV e o disco de vinil
Porta retrato e na cama espaço
O laço, o abraço e o beijo que você partiu

Leva, leva, leva eu...
Leva, leva, leva eu...
Levou...

(Céu e Diogo Poças)

22 de março de 2011

Eu estou aqui...


Ei! Eu estou aqui sim. Ok, sei que ando sumida, ausente do blog e do mundo virtual que tanto me fez (e ainda faz!) companhia. Mas os tempo são outros...muitas mudanças. Trabalho novo, amigos novos, pessoas novas. Tudo isso para conhecer e explorar. 

Como estou cansada! E como estou feliz!

Troquei a área de engenharia civil pela engenharia mecânica; deixei de ser vendedora para me tornar compradora; troquei o salto alto e o perfume importado pela botina de segurança e pelo cheiro de fundição de alumínio; saí das ruas e fui para a fábrica.

É, a minha vida é assim mesmo, cheia de surpresas. Mas uma coisa não muda: a minha curiosidade pelo conhecimento e exploração de tudo o que é novo. Sempre!

6 de fevereiro de 2011

Filhos

(meus filhos Maria Eugênia e Gabriel)

Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem.

Isto mesmo!

Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente na incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado.

(José Saramago)

23 de janeiro de 2011

Blog sobre filmes

A partir de agora vou compartilhar minha opinião sobre filmes em um blog destinado para esse fim. Minha filha teve a ideia, uma vez que é cinéfila de nascimento, e me convidou a colaborar.

Acessem: Notas sobre a Sétima Arte

21 de janeiro de 2011

Futuros Amantes



Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar

E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos

Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização

Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você

(Chico Buarque - Futuros Amantes)

Atreva-se!

É assim que eu estou me sentindo nesse início de 2011: mudando os padrões de comportamento, quebrando paradigmas.

P.S.: Vivaldi ao fundo é puro luxo.


31 de dezembro de 2010

Propósitos para 2011


Mais um ano termina e eu não posso reclamar de 2010. Não foi um ano excelente mas também não foi dos piores. 
Aprendi e cresci muito. Quase não chorei de tristeza, mas sim de emoção.
E 2010 termina com um gosto doce.

E o que eu quero para 2011? Lá vai:

- estudar a Doutrina Espírita com mais afinco;
- ler mais livros;
- ir mais vezes para São Paulo, capital, passear e visitar os amigos que cobram a minha presença por lá;
- orientar e educar meu filho Gabriel, cuidando para que ele cresça autoconfiante, responsável e feliz;
- orientar minha filha Maria Eugênia, que apesar de adulta, ainda se perde nas dúvidas;
- continuar me amando muito, respeitando os meus limites, cuidando dos meus sentimentos, das minhas crenças;
- continuar respeitando e ajudando o meu próximo;
- rir ainda mais com meus amigos e minha família;
- encontrar um lindo Amor para chamar de meu;
- trabalhar, trabalhar, trabalhar.
- e não me esquecer nunca de que "na vida, cada um dá aquilo que tem. E quem dá pouco é porque pouco tem dentro de si”. A partir disso, não me decepcionar com as atitudes dos outros e sim, aceitar o momento de cada um.

Um lindo e grandioso 2011!! E como sempre digo: quero paz no meu coração e quem quiser ser meu amigo que me dê a mão!

26 de dezembro de 2010

Todos estão surdos

Depois de assistir e me emocionar com o show do Rei, é hora de registrar uma canção-oração:



Desde o começo do mundo
Que o homem sonha com a paz
Ela está dentro dele mesmo
Ele tem a paz e não sabe
É só fechar os olhos
E olhar pra dentro de si mesmo

Tanta gente se esqueceu
Que a verdade não mudou
Quando a paz foi ensinada
Pouca gente escutou
Meu Amigo, volte logo
Venha ensinar meu povo
O amor é importante
Vem dizer tudo de novo

Outro dia, um cabeludo falou:
"Não importam os motivos da guerra
A paz ainda é mais importante que eles."
Esta frase vive nos cabelos encaracolados
Das cucas maravilhosas
Mas se perdeu no labirinto
Dos pensamentos poluídos pela falta de amor.
Muita gente não ouviu porque não quis ouvir
Eles estão surdos!

Tanta gente se esqueceu
Que o amor só traz o bem
Que a covardia é surda
E só ouve o que convém
Mas meu Amigo volte logo
Vem olhar pelo meu povo
O amor é importante
Vem dizer tudo de novo

Um dia o ar se encheu de amor
E em todo o seu esplendor as vozes cantaram.
Seu canto ecoou pelos campos
Subiu as montanhas e chegou ao universo
E uma estrela brilhou mostrando o caminho
"Glória a Deus nas alturas
E paz na Terra aos homens de boa vontade"

Tanta gente se afastou
Do caminho que é de luz
Pouca gente se lembrou
Da mensagem que há na cruz
Meu Amigo, volte logo
Venha ensinar meu povo
Que o amor é importante
Vem dizer tudo de novo

(Todos estão surdos - Roberto Carlos)

23 de dezembro de 2010

Meus pedidos de Natal



Vou transcrever abaixo uma mensagem que o Gabriel, meu filho, recebeu no último dia de evangelização. O texto descreve exatamente os meus desejos...


Senhor!
Sou como todos.
Também tenho os meus pedidos especiais...

Mas não se preocupe!
Tenho pouco a pedir.
Tenho, é verdade, muito mais a agradecer.

Mas Natal não é Natal se a gente não se ajoelhar 
diante da tua sabedoria para refazer 
todos aqueles pedidos que a tua Bondade já sabe  que a gente precisa.

Olha, dá um jeitinho de acabar com todas as guerras.
Essa gente já brigou por tanta coisa!!!
Faz com que eles vejam a inutilidade de tanta disputa.

Também tem aqueles que não sabem amar e só odeiam.
Faz com que eles entendam que o nosso tempo é tão curto para 
se desperdiçar com sentimentos menores

Ah...tem também aqueles que me magoaram.
Faz com que eu me esqueça do que houve 
e me dá luz e grandeza para eu aprender a perdoar.

Ainda tem aqueles que se encontram desesperados.
Dá-lhes conforto, um motivo de vida e mostra-lhes a maravilha
operadas pela palavra Esperança.

Tem aqueles que já são meus meus amigos antigos.
Para esses eu peço o que sempre pedi:
Que eu possa sempre ser o que esperam de mim
e, se não o for, que possam entender meus limites.

Agora, tem os meus novos amigos.
Para esses , o que eu peço é lindo e grandioso.
Que o milagre que fez a gente se encontrar continue só operando belezas em nossas vidas.

Que eu possa esquecer as tristezas do ano passado
e, nesta prece, só te pedir alegria.
Faz com que eu possa acreditar que o mundo pode ainda ser melhor.

E para isso eu te peço...Fé.

Obrigado!

Que assim seja!

Desconheço a autoria da oração. Se alguém souber, por favor, registre nos comentários.